Olhos amarelados são uma condição típica de problema no fígado causada pelo excesso de bilirrubina no sangue, cujo nome mais conhecido é icterícia.

A icterícia pode surgir pela quebra de células vermelhas no sangue – considerado normal –, mas também pode ser sintoma de doenças hepáticas graves, como cirrose e hepatite. Olhos amarelados não são uma condição apenas de adultos, podendo afetar recém-nascidos, muito embora o sintoma desapareça após um período de tempo.

Neste artigo, vamos abordar as doenças que provocam a icterícia e o que fazer quando esse sintoma aparece. Acompanhe!

Quais doenças podem causar esse sintoma?

A icterícia, quando ocorre, sempre é sinal de algum mau funcionamento do fígado, seja por excesso de álcool ou pela presença de algum vírus. Listamos seis doenças hepáticas que causam a icterícia:

1. Cirrose

Caracterizada por agressões ao fígado devido ao excesso de álcool, drogas ou a presença de hepatite crônica, a cirrose é a morte das células hepáticas, sendo substituídas por um tecido cicatricial e, consequentemente, sem função.

Os sintomas principais incluem perda de peso, náuseas, prisão de ventre, urina escurecida, perda de cabelo e icterícia (além dos olhos, a pele também fica amarelada).

É possível evitar que a doença avance buscando tratamento a partir dos sintomas iniciais, como eliminar o consumo de álcool e drogas, e se prevenir contra a hepatite.

2. Hepatite

Há sete tipos de hepatite e todas elas, como o próprio nome diz, são doenças que atacam o fígado: hepatite (A, B, C, D, E), hepatite alcoólica e autoimune.

O abuso do álcool, a infecção por um vírus ou sistema imunológico frágil são causas da hepatite, mas a mais comum ainda é por infecção viral, que inflama o fígado e causa sintomas, como náuseas, dor abdominal, vômitos e icterícia.

A melhor forma de combater essa doença é por meio da prevenção: manter a boa higiene, tomar vacinas contra a hepatite A e B, usar preservativos durante relação sexual e sempre usar material descartável em salão de beleza e dentista, por exemplo.

3. Febre amarela

A transmissão da febre amarela se dá através da picada do mosquito Aedes aegypti (quando urbana) e Haemagogus e Sabethe (quando silvestre), infectando vários órgãos, incluindo o fígado.

O mosquito transmite a febre amarela.

Sintomas como olhos amarelados, convulsões e miocardite já indicam que os órgãos foram comprometidos pelo vírus da febre amarela, mas, no geral, os sintomas, quando surgem, incluem mal-estar, febre, vômitos, fotofobia e dores musculares.

Para o tratamento da febre amarela, é necessário repouso e internação para que, além de o paciente receber a reposição de líquidos, os médicos também possam acompanhar a doença de perto.

4. Malária

Malária é uma doença comum, cuja transmissão ocorre pelo mosquito Anopheles, causando infecção por Plasmodium (um gênero de protozoários).

Os primeiros sintomas (febre, calafrios, náuseas, vômitos, dores nas articulações, sudorese, dores de cabeça) surgem quando os parasitas, até então alojados no fígado, viajam pela corrente sanguínea destruindo as células dos glóbulos vermelhos. A icterícia é um sintoma característico quando a doença progride.

A malária pode ser tratada e curada com medicamentos prescritos, como Sulfato de quinina e Mefloquina.

5. AnemiA

Quando as células vermelhas do sangue são destruídas por anticorpos produzidos pelo próprio corpo, chamamos de doença autoimune, e, neste caso, o organismo não repõe as células danificadas a tempo, dando origem a anemia hemolítica.

Além da anemia, o paciente perceberá os olhos amarelados ou coloração azul no lugar do branco dos olhos, mau humor, dor de cabeça, fraqueza e falta de concentração.

O tratamento pode incluir reposição de ferro e ácido fólico, medicamentos, como Betametasona, Prednisolona ou Predsim, ou transfusão de sangue, em casos de emergência.

6. Câncer

Embora a icterícia seja um sintoma típico de doença hepática, ela também surge quando o câncer atinge o pâncreas e o intestino – além do fígado –, comprometendo o bom funcionamento do órgão ao acumular a bilirrubina.

O câncer hepático pode ser causado por diversos fatores, dentre os quais estão a cirrose, a hepatite e o excesso de álcool como principais causas.

Os sintomas, na maioria dos casos, aparecem quando o estágio da doença é avançado, e são eles: dor no lado direito do abdômen, inchaço abdominal, perda de apetite, extremo cansaço e enjoos frequentes.

É importante verificar os fatores de risco (como o consumo de álcool, diabetes, doenças no fígado) e ter o costume de se consultar com o médico regularmente para evitar as complicações.

E em recém-nascidos, o que significa?

A icterícia neonatal é comum em recém-nascidos e deixa os olhos dos bebês com a coloração amarela. Porém, é uma condição normal, que surge até o terceiro dia do nascimento como parte do desenvolvimento fisiológico do bebê, e desaparece dias depois.

Um dos tratamentos indicados para o bebê é ser mantido em incubadora para receber o banho de luz, conhecido como fototerapia.

Atenção!

Qualquer sinal de icterícia deve ser relatado ao médico, já que, quanto mais cedo a causa for diagnosticada, mais chance o tratamento tem de a ser efetivo e de não haver complicações graves. É válido salientar que a automedicação é perigosa e pode acarretar em danos maiores.

Portanto, consultas regulares e cuidados extras podem garantir um diagnóstico mais rápido e um tratamento mais preciso contra as doenças que agridem o fígado. Se você ou alguém da sua família está com os olhos amarelados e tem alguma dúvida, deixe um comentário, mas não deixe de procurar ajuda médica também.

Este artigo sobre a icterícia foi útil para você? Então, aproveite para compartilhar e ajudar mais pessoas a descobrir os primeiros sintomas de que algo não vai bem com a saúde do fígado.