Entre os principais transtornos que acometem os idosos, principalmente os que não têm o hábito de praticar jogos e demais exercícios físicos (principalmente a partir dos 65 anos), estão as deficiências cognitivas, principalmente as relacionadas com a perda da memória.

O problema é que, nessa fase, ocorre uma sensível deterioração de regiões do cérebro como o hipocampo, responsável por, entre outras coisas, permitir a memorização e a aprendizagem e regular as emoções.

Além disso, nessa fase, ocorre uma sensível diminuição do fluxo sanguíneo para o cérebro e da produção de hormônios responsáveis por certas funções do organismo, entre outras situações típicas do avançar da idade.

É aí que entra a importância fundamental dos jogos ou exercícios para idosos. Atividades como xadrez, damas, baralho, dominó, por exemplo, têm comprovada ação contra as doenças da velhice.

A maior parte, sem dúvida, estimula várias regiões do cérebro, bem como a atenção, o raciocínio rápido e a capacidade de resolver problemas lógicos. Tudo isso contribui (desde que praticado o mais cedo possível) para a impedir ou ao menos minimizar o trauma da perda progressiva e irreversível da memória – talvez o principal drama dessa fase da idade.

Deficiências cognitivas são as principais consequências da falta de de jogos e de exercícios ao longo da vida dos idosos.

Segue, portanto, uma lista com 10 atividades indicadas por especialistas, com o objetivo de ao menos minimizar os transtornos cognitivos resultantes da idade.

10 jogos estimulantes para idosos

1. Quebra-cabeças

Brincar de quebra-cabeças, desde a infância, pode ter efeitos benéficos por toda a vida de um indivíduo. É o que explica alguns pesquisadores da Universidade de Chicago.

O ideal é começar aos poucos e com poucas peças.À medida que evolui, o indivíduo exercita cada vez mais a capacidade de desenvolver habilidades matemáticas e espaciais. Isso ocorre porque essas atividades envolvem o lado direito do cérebro para pensar na melhor solução, enquanto o lado esquerdo é responsável por escolher as peças que deverão ser encaixadas. Assim, é fortalecida a capacidade de resolver problemas lógicos e emocionais.

Apesar de confundidos com meros passa tempos infantis, a capacidade dos quebra-cabeças de exercitarem os dois lados do cérebro é reconhecida cientificamente.

2.Praticar o hábito da leitura

Essa é uma técnica poderosa para o armazenamento de informações, tanto para idosos como para pessoas mais jovens. ler um bom livro (especialmente os clássicos) confere um poder regenerador para o espírito. Quando o que se apreendeu é compartilhado, é como se um milagre acontecesse e toda a informação ficasse retida no cérebro.

Uma pesquisa publicada na revista Social Science & Medicin, posta em prática pela Universidade de Michigan, concluiu que dos quase 3.700 indivíduos acompanhados por cerca de 12 anos, pelo menos 20% teve seu risco de morte reduzido em razão de exercitarem o cérebro com a leitura.

3. O jogo das diferenças

Este é um dos exercícios mais populares entre os idosos. Considerado quase imbatível, quando se trata de aguçar os sentidos e notar diferenças antes imperceptíveis, o jogo das diferenças vale para toda a vida.

Imagens aparentemente idênticas guardam diferenças que só podem ser percebidas por uma esforço bastante benéfico de atenção e consequente estímulo cognitivo.

4. Sudoku, caça-palavras ou palavras cruzadas

Esses são os clássicos para o exercício da memória e do raciocínio lógico. O caça-palavras estimula a curiosidade e a visão periférica, o sudoku, a memória e a lógica, enquanto as palavras cruzadas fornecem uma bagagem de conhecimentos gerais, ao passo que mantêm o cérebro ativo.

O sudoku, por exemplo, é um verdadeiro “achado” entre os idosos. Trata-se de um dos tipos de jogos mais indicados, principalmente porque exercita a memória, estimula a busca pelo raciocínio lógico e pela memória visual.

5.Dominó

Este é o passatempo preferido dos aposentados e boêmios. Para além de uma atividade lúdica e despretensiosa, o dominó é altamente capaz de desenvolver o raciocínio lógico, a tomada de decisões, ajudar a sair de situações difíceis, manter um convívio social diário, e, obviamente, trata-se de um jogo capaz de preservar a memória já na fase idosa.

6. Teatro, dança e atividades semelhantes

Sem dúvida, o convívio social, principalmente com indivíduos de várias idades, é o principal benefício dessa prática.

No entanto, a necessidade de memorizar passos, ritmos e melodia aumenta a autoestima. Além disso, é muito divertido. Por essa razão, essas atividades constam no hall dos principais jogos e exercícios para a terceira idade.

O aumento da autoestima é um dos fatores para que as danças de salão sejam tão populares como os jogos para idosos.

7. Cursos

Aprender algo novo é, sem dúvida, uma das melhores maneiras de manter a alma jovem e a mente sempre alerta.

Um curioso estudo publicado na revista Neurology, concluiu que aprender um segundo idioma é capaz de afetar determinadas regiões do cérebro e, inclusive, adiar o surgimento de doenças como o Mal de Alzheimer, por exemplo

8. Fazer lista de compras e não utilizá-la

Um bom hábito é realizar uma espécie de joguinho em que se listam todos os itens do supermercado, para que não se perca tempo, dinheiro e nem ganhe uma boa dose de estresse.

Que tal, ao fazer a lista, realizar a experiência de não olhar para ela durante as compras? Isso pode ser uma ferramenta a mais para um estímulo cerebral, já que no momento em que escrevemos algo aquelas informações acabam impressas na memória. Muitas pessoas se surpreendem com a capacidade de lembrar de boa parte das mercadorias que foram registradas na lista.

9.Ensinar algo a alguém

Ensinar algo é uma via de mão dupla. Você enriquece o seu espírito, dá um sentido à sua vida, aprende coisas novas, sente-se vivo e útil, sem contar que transfere todas essas sensações para outras pessoas.

Seja um vizinho, um animal de estimação, em uma pequena reunião de estudos, são inúmeras as formas de utilizar o seu conhecimento em prol do outro e, por tabela, enriquecer o seu espírito….

10. Realizar atividades de olhos fechados

Ações executadas de olhos fechados têm o poder de estimular todos os outros sentidos. Tato, audição, olfato, paladar, todos esses sentidos são obrigados a substituir a visão. Esse tipo de jogo pode estimular um idosos de várias maneiras e, ao longo do tempo, fará, sem dúvida, uma revolução na sua vida.

Agora que você já aprendeu 10 atividades que estimulam os idosos, que tal colocá-las em prática e nos dizer o que achou da experiência? Além disso, continue acompanhando nossas publicações para saber mais a respeito da saúde da terceira idade.

Até a próxima!